Comunidade Evangélica Rocha Viva

Folha ao Vento

Certa manhã do 11º andar do meu apartamento, olhando pela janela, no pátio, vi uma folha caindo de uma árvore, uma folha ainda nova.

 

 

 

Ao cair foi jogada pelo vento de um lado para outro, às vezes encostava-se a uma pedra e tentava agarrar-se, mas logo o vento era mais forte, e acabou arrastando-a para a rua onde os carros passavam e foi novamente lançada para o pátio, deu para perceber que estava fragilizada de tanto lutar até que o vento a levou para uma grande pedra que tinha uma cavidade onde não saiu mais. Como se tivesse encontrado um lugar seguro.

Nisso eu vi a minha própria vida. Como de tantas vezes fui jogada de um lado para o outro, sem abrigo, sendo afligida, sem um lugar seguro, sem esperança e sem forças. até que encontrei uma grande pedra onde pude me esconder, e essa pedra é o esconderijo do Altíssimo e ali eu ouvi uma voz que me dizia:

“Vinde a mim todos os que estão cansados e oprimidos e eu vos aliviarei. Tomai sobre voz o meu jugo e aprendei de mim que sou manso e humilde de coração e encontrarei descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.” (Mateus 11.28-30)

Glória a Deus.

Odete D´afonseca e Silva

 
| Home Apologética Folha ao Vento