Comunidade Evangélica Rocha Viva

Ser um servo

 

 

Chamados para sermos servos

 

 Em Efésios 2,8,9, diz que somos salvos pela graça e não por obras. Assim, sentimo-nos

 

 

 aliviados de qualquer obrigação de servir. Enquanto estes versículos afirmam que nossas boas obras não tem parte nenhuma em nossa salvação, o versículo 10 diz que as boas obras são uma CONSEQUÊNCIA da salvação.
 aliviados de qualquer obrigação de servir. Enquanto estes versículos afirmam que nossas boas obras não tem parte nenhuma em nossa salvação, o versículo 10 diz que as boas obras são uma CONSEQUÊNCIA da salvação.

 

Efésios 2.10 deixa bem claro que o serviço é uma conseqüência natural e necessária da nova criação. Paulo usa uma frase interessante no versículo 10. Ele diz que não somos somente uma nova criatura, mas também uma feitura. Em português esta palavra traz a idéia de ser feito. Em grego, a língua original de Paulo, esta palavra feitura tem o sentido de “Poema”. Sua vida de serviço deve ser tão bonita que poderia ser vista como parte de um lindo poema, e não trabalho penoso e enfadonho.

Quando estamos fazendo algo sensacional ou especial, é possível que cheguemos a sentir isso como um poema, mas o versículo diz que devemos andar nas boas obras. Boas obras não são reservadas para horas especiais, mas para nossa vida, cotidiana. As boas obras acontecem nos pequenos acontecimentos de nossa vida e não nos atos heróicos. Francamente, é até mais fácil previnir uma criança de ser atropelada do que limpar o chão dia após dia.

A realidade da Palavra de Deus aqui é que nós somos CRIADAS para fazer essas pequenas coisas; para andar em boas obras dia após dia. Paulo diz que essas coisas foram preparadas de antemão. No plano perfeito de Deus, antes de nós nascermos, ele já preparou boas obras para nós fazermos. O plano de Deus é que devemos estar fazendo essas coisas dia após dia em nossa vida. Quando cumprimos o plano de Deus, somos aquele poema lindo que ele planejou.

A pessoa que diz que é salva pela graça e não tem que fazer nada, não entende como a graça opera! Em Tito 2:11-14, está bem claro que é a graça que opera em nós e nos ensina a ser “zelosos de boa obra”. Não somos servos porque a lei nos mandou. Somos servos porque a graça trabalha conosco e nos treina para sermos servos. Deus nos chamou para sermos servos, mas também ele nos ensina a fazer boas obras. Quando trabalhamos através da graça (e não com o sentimento de obrigação) nosso serviço é um prazer e uma oferta de amor.

Sem  a graça do Senhor, a tendência sempre será nos preocuparmos com nossos problemas, nossas necessidades, nossos desejos e nossos planos. A pessoa que anda no Espírito tem outras atitudes. Gálatas 5:22 esclarece como essas atitudes são diferentes. O fruto do Espírito nos ensina a sair de nossa pele e desenvolver um interesse genuíno em outras pessoas. Quem anda no Espírito age com bondade e benignidade, preocupando-se com o bem estar de outros e fazendo o bem. Atos 10:38 diz que Jesus andou por toda  parte, fazendo o bem. O mesmo poderia ser dito de nós?

Não é coisa natural querer ser servos. Um servo é desprezado em nosso mundo. A coisa natural é querer ser servido. Deus, que planejou nosso serviço, que nos chamou para sermos servos, também nos prepara para sermos servos. I Pedro 4:10 diz: “Servindo uns aos outros, conforme o dom que cada um recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça e Deus.”

Deus  nos capacitou para sermos servos quando ele nos deu nossos dons. Sua graça faz possível nossa atuação como servos. Ninguém pode desculpar-se dizendo: Eu não tenho o dom do serviço. Eu sou um líder.”  Bem poderíamos perguntar: ”Tem o Espírito Santo em sua vida?”  Quem tem o Espírito Santo, quem tem graça de Deus instruindo-o tem o dom de serviço. Quem não está servindo está pecando.

É necessário, porém, ter cuidado. Há muitas pessoas que vão pedir coisas de você, mas você não é obrigado a fazer tudo que outros pedem. I Pedro 4:10,11 diz que você deve servir conforme o dom que recebeu, que deve ser um bom despenseiro e que Deus deve ser glorificado em tudo. Não somos chamados para sermos servos para glorificar a igreja, para se glorificarmos ou para agradar outras pessoas. Algumas pessoas caem no erro de fazer tudo que outros pedem porque têm medo de dizer não. Será que Deus é glorificado com servos  esgotados? Outras pessoas fazem tudo para o reconhecimento que recebem. (“Olhem a fulana e como ela sustenta o trabalho da EBD quase sozinha!!”) Será que Deus é glorificado quando uma pessoa recebe tantos elogios pelos sacrifícios pessoais? Outras pessoas se matam para servir à igreja. Será que Deus é glorificado quando o serviço rouba o tempo que a pessoa tem para estar com Deus?

O serviço deve sempre apontar-nos Deus, e não a mais ninguém.

 

Qualidades do Servo

 

Já vimos que é Deus quem nos chama para sermos servos e que é ele quem nos capacita para sermos servos. Precisamos ver algo sobre as qualidades do servo.

Gálatas 6.9,10 mostra três qualidades importantes do servo. Primeiro mostra que o servo é altruísta nem sempre pensando em si mesmo. As vezes não será interessante nem conveniente servir, mas o verdadeiro servo continua servindo quando ele sabe que está fazendo isso para o Senhor e com a ajuda do Espírito Santo.

Também o servo é incansável. Isso quer dizer que o servo não se cansa de “fazer o bem”. Quando o servo está servindo ao Senhor, glorificando Deus, servindo no Espírito, usufruindo seus dons, ele não se cansa. Quando ele está servindo para agradar, para reconhecimento, por covardia ou outros motivos, ele não é mais um servo incansável.

Em terceiro lugar, o servo não discrimina. O servo serve a todos – crentes, não crentes, crianças, adultos, pobres, ricos etc. O servo faz o bem a todos, não somente às pessoas de UEM ele gosta ou que conhece bem. Há pessoas que acham mais fácil ajudar o desconhecido, ignorando as necessidades da própria família. O verdadeiro servo tem  que tratar todos com equanimidade. O servo serve a quem precisa, não a quem é mais achegado, interessante, importante etc.

Talvez a passagem que é mais clara sobre o tipo de serviço que devemos oferecer é I Timóteo 5.9,10. Paulo esta falando sobre as viúvas que estão qualificadas para receber a ajuda da igreja. Ainda assim, podemos ver no versículo 10 que ele está falando sobre as qualidades de uma serva que podem ser aplicadas até hoje em dia.

Primeiro nós vemos o serviço que faz parte da vida diária, porque diz que ela é recomendada pelo testemunho de boas obras. É uma vida inteira vivida em serviço. O serviço é uma constante em sua vida. Seu serviço é anônimo e sem reconhecimento. Ela cuida da família, de sua casa, e abre seu lar para outros.

Toda “dona de casa” tem essa obrigação, mas algumas vêem isso como coisa antiquada e ultrapassada, esquecendo que podem ser justamente essas coisas que Deus preparou de antemão para ela fazer. Ninguém fica famosos ou recebe grande reconhecimento por fazer o que é sua obrigação fazer, mas é esse serviço que destaca o verdadeiro servo.

Lavar os pés dos santos demonstra a humildade do verdadeiro servo. Não devemos esquecer o serviço que existe em fazer as coisas pequenas e até humildes. Hoje em dia não lavamos pés, mas lavamos a louça e a roupa, varremos o chão, preparamos as refeições, todo serviço para facilitar a vida dos outros. Será que possível servir as Senhor “lavando a louça dos santos?” Tudo depende de atitude. Pode ser uma obrigação. Pode ser uma irritação. Pode ser uma alegria, se é oferecida em amor.

Em outros lugares Paulo diz que devemos levar as cargas uns dos outros. Aqui vemos que o servo socorre os atribulados. Hoje em dia temos tantas pessoas atribuladas, que mais do que  qualquer  outra coisa precisam de alguém que lhes dê um pouquinho de carinho. O verdadeiro servo sabe escutar os outros e fazer seu fardo mais leve.

O verdadeiro servo cultiva a prática zelosa de toda a boa obra. Seu serviço não é uma  obrigação nem um código, mas uma resposta de sua própria pessoa que sai de dentro de si como o resultado do relacionamento com Cristo, que é um hábito constante de dar.

 

O Inimigo do Servo

 

Por que é tão difícil viver assim? É difícil porque tudo isso vai contra a natureza. O inimigo mortal do serviço é a carne!

1 João 2.16 diz claramente que a concupiscência e o orgulho não vêm do Pai, mas sim do mundo. O mundo nos incentiva a cultivar egoísmo e orgulho. O mundo nos ensina a fazermos o que nos agrada. Isso não bem de Deus que nos chamou para sermos servos. Você quer disciplinar a carne? Comece a praticar o serviço. Pratique o serviço verdadeiro que foi planejado por Deus para você fazer. Pratique um serviço anônimo e humilde, e assim irá controlar sua paixão de quere ser importante e reconhecido.

 

Quais mudanças em sua vida que são necessárias para tornar-se um servo? Assinale:

 

(   ) Aceitar que foi chamado para ser um servo.

(   ) Encarar o serviço como uma oferta de gratidão ao Senhor.

(   ) Servir glorificando ao Senhor.

(   ) Servir à família com mais alegria.

(   ) Ajudar os aflitos a carregarem seus problemas.

(   ) Assumir um serviço humilde, sem reconhecimento.

(   ) Exercer a mas hospitalidade.

(   ) Cultivar o hábito de servir a todos, sem discriminação.

(   ) Tomar uma decisão consciente de disciplinar a carne e aprender a servir.

 

O que pode fazer hoje mesmo para ser um servo?

 

“Algumas vezes a neblina se espaira sobre o convés de um navio, sem envolver, contudo, o alto do mastro. O marujo, então, sabe ao topo e descortina uma visão que o timoneiro no convés não tem. Assim, a oração envia a alma às alturas, eleva-nos uma oportunidade de ver o caminho por onde navegamos”.

 Fonte: Visão Missionária4T91

 
| Home Vida Cristã Ser um servo